página inicial edições anteriores para publicar expediente fale conosco
Ano 2 - Nº 2 - Mar/Abr/Maio de 2004
Humanidades - Revista de Ciência, Educação e Cultura

Resenhas

A Filosofia e Sua Sombra
Resenha do livro de Nildo Viana "A Filosofia e Sua Sombra"

Jacqueline Santana

Lançado pela editora "Edições Germinal", na cidade de Goiânia em 2000, o livro "Filosofia e Sua Sombra", escrito por Nildo Viana, apresenta uma introdução crítica à filosofia e discute até que ponto os estudos filosóficos têm sentido na sociedade contemporânea.
Viana é filósofo, cientista social por profissão e marxista por opção.

Para o autor, a filosofia possui um lado sombrio e reflete friamente sobre a realidade em que se vive. Desta forma, ele deixa claro que existem dois lados da filosofia e da explicação que ela faz da realidade. O autor tem a preocupação de apresentá-los na obra.
Além de uma definição precisa de filosofia, encontra-se uma reflexão sobre a origem e desenvolvimento do estudo filosófico.

Alguns dos principais temas filosóficos também são apresentados sinteticamente e de forma introdutória: natureza humana, ética, conhecimento e história. O livro é enriquecido com alguns textos que tratam de temas atuais, importantes e de grande interesse para a compreensão dos debates contemporâneos: Reflexões Sobre Ética;
Da Impossibilidade do Relativismo; Os Limites do "Marxismo" Fenomenológico de Karel Kosik; Mao Tse-Tung: Dialética ou Estratégia do PCC?; Práxis, Alienação e Consciência; Foucault: Filosofia ou Fetichismo? Todos, com exceção dos dois últimos, são inéditos.

Nada contra discutir esse tema, mas o fim da filosofia já foi anunciado tantas vezes que a questão já pode ser considerada repetitiva. Além do mais, não deixa de ser curioso o fato do autor ter usado apenas argumentos dos pensadores políticos Marx e Marcuse.

Richard Rorty, o filósofo norte-americano, em Filosofia e o Espelho da Natureza (1979) também tentou "matar" a filosofia. O que esses autores ainda não perceberam, é que os estudos filosóficos não são hipóteses específicas reunidas numa doutrina teórica, mas sim um modo argumentativo de pensar o mundo e as ações humanas. A filosofia caracteriza-se como uma postura crítica frente às coisas percebidas pelo indivíduo e anunciadas por outras teorias.

Assim, ao pregarem o "fim da filosofia" esses outros divulgam um crime falso, porque eles mesmos a mantêm viva, ao defenderem suas idéias com discurso que visa o entendimento das pessoas.

Apesar de contraditória, trata-se de uma obra que deve ser lida e se tornar objeto de reflexão para todos os que querem fugir do senso comum e adquirir conhecimentos mais completos a respeito de questões fundamentais. O autor tem coragem de ser crítico, engajado, ativo, libertário em dias de conservadorismo extremo e de "espírito de rebanho" (Nietzsche). Já diziam os antigos filósofos: "O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros".

 

 

     
 
Os artigos publicados são de responsabilidade e de direito dos respectivos autores. É autorizada a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Editor, desde que citada a fonte.
 
     
 
 
Seções
Autora