página inicial edições anteriores para publicar expediente fale conosco
Ano 4 - Nº 7 - Ago/Set/Out de 2006
Humanidades - Revista de Ciência, Educação e Cultura
ISSN 1807-9032
Autor

*Socióloga, Professora da UNIP – Universidade Paulista

Resenhas

Senda para a Sociologia

Maria Angélica Peixoto*

O livro recém-lançado de Nildo Viana, Introdução à Sociologia (Belo Horizonte, Autêntica, 2006, 144 páginas) oferece uma trilha para os iniciantes descobrirem o que é a sociologia, pois é uma obra introdutória à esta ciência.. Não é nada fácil produzir uma obra introdutória, já que os riscos são os mais variados, desde a excessiva simplificacao até a elaboração de um texto complexo e, portanto, nada introdutório. Porém, não é este o caso do livro em questão. O autor consegue, ao mesmo tempo, produzir uma obra introdutória e bem estruturada, simples e complexa.
Sem dúvida, o livro possui algumas passagens mais difíceis, mas outras são bem acessíveis. O primeiro capítulo, O Que é Sociologia? apresenta uma definição de sociologia que revela a essência desta ciência, e discute os elementos básicos para compreender o conceito de sociologia e o seu objeto de estudo. O segundo capítulo discute a formação da sociologia, apresentando o contexto social e histórico que promoveram a sua emergência, tal como a revolução industrial inglesa e a revolução francesa, bem como o processo de racionalização e burocratização da sociedade moderna. Isto tudo, aliado com as mudanças culturais, tal como a expansão da ciência e do cientificismo, bem como o surgimento das universidades, possibilitaram o clima social e cultural necessário para o aparecimento da ciência da sociedade e dos primeiros pensadores precursores dela: Saint-Simon, Proudhon, Comte, Spencer. No capítulo terceiro, o autor faz um breve e profundo resumo das teorias dos clássicos da sociologia, Marx, Durkheim e Weber, apresentando as críticas endereçadas a estes autores e colocando seu posicionamento, o que deixa claro seu pertencimento à tradicao da corrente crítica no interior da sociologia. O quarto capítulo apresenta, de forma mais resumida e descritiva, o desenvolvimento da sociologia em vários países, principalmente França, Alemanha, Estados Unidos. O quinto e último capítulo aborda os temas fundamentais da sociologia, tal como o processo de socialização, a divisão social do trabalho e as classes sociais, cultura e ideologia e transformação social.
Um dos grandes méritos do livro Introdução à Sociologia está em sua abordagem crítica da sociologia. Não se trata de uma apologia a esta ciência mas sim uma abordagem que mostra que a sociologia, como qualquer outro produto cultural, é constituída socialmente. Isto é o que muitos chamariam de abordagem sociológica da sociologia. Isto se revela em sua visão das sociologias durkheimiana e weberiana, contextualizadas historicamente, e na sua explicação do desenvolvimento da sociologia, no qual o empiricismo crescente é explicado pelo próprio desenvolvimento social. Da mesma forma, as características da sociologia inglesa e alemã são apresentadas como estando intimamente relacionadas às peculiaridades destes países.
Outro aspecto positivo é a síntese do pensamento dos clássicos da sociologia, de forma clara e apresentando uma visão global das obras de Marx, Durkheim e Weber, como dificilmente se vê em manuais e livros introdutórios. Nildo Viana consegue perceber os elementos constituintes do pensamento destes autores e reatar o fio da meada, apresentando uma visão coerente e global de cada um deles. Merece destaque a análise do pensamento de Karl Marx, na qual as interpretações equivocadas são criticadas e uma visão mais ampla aparece no lugar.
Por estas e outras razões, o livro Introdução à Sociologia, de Nildo Viana, não é apenas mais um livro de introdução ou apenas mais um manual. É uma obra introdutória e ao mesmo tempo profunda, o que lhe reserva um espaço especial na história da sociologia brasileira.

     
 
Os artigos publicados são de responsabilidade e de direito dos respectivos autores. É autorizada a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Editor, desde que citada a fonte.
 
 
 
   
Seções